Igreja

Quem somos

Nós, batistas, somos discípulos de Jesus Cristo. Cremos nele cremos como Salvador e Senhor. Há mais de 1 milhão de batistas espalhados por todo o Brasil. No mundo, somos contados em dezenas de milhões.

Somos um povo que vem de longe, com muitos nomes, de muitas perseguições, de muitas lutas, mas construindo uma bela história de fé, de doutrina e de princípios. Você os conhecerá nos conteúdos dos documentos que disponibilizamos neste Portal.

Somos o povo da Bíblia, a Palavra Infalível e Eterna de Deus. Cremos em Deus Pai, santo, justo, criador, e sustentador de todas as coisas. Cremos no Deus Filho Jesus Cristo, Salvador e Senhor de nossas vidas e almas e no Deus Espirito Santo, o Consolador que nos guia em tudo quanto Jesus ensinou.

Com o nome de Batista existimos desde 1612, quando Thomas Helwys de volta da Holanda, onde se refugiara da perseguição do Rei James I da Inglaterra, organizou com os que voltaram com ele, uma igreja em Spitalfields arredores de Londres.

Thomas Helwys, que era advogado e estudioso da Bíblia, ao escrever um livro intitulado " Uma Breve Declaração Sobre o Mistério da Iniquidade", foi preso e morreu na prisão, em 1615.

No referido livro, ele escreveu aquilo que é um dos mais caros princípios batistas, o principio da liberdade religiosa e de consciência :"... a religião do homem está entre Deus e ele: o rei não tem que responder por ela e nem pode o rei ser juiz entre Deus e o homem. Que haja, pois, heréticos, turcos ou judeus, ou outros mais, não cabe ao poder terreno puni-los de maneira nenhuma".

Nossas igrejas adotam a forma de governo Congregacional Democrático. São Igrejas autônomas e locais. Relacionam-se umas com as outras pela mesma fé e ordem, de forma cooperativa e por laços fraternais.

Crêem na conversão pessoal de cada crente a Jesus Cristo, no exercício de sua responsabilidade individual e que é aceito pela Igreja por batismo por imersão e mediante confissão da sua fé em Jesus Cristo como salvador pessoal. Portanto. Não aceitam e nem praticam o batismo infantil. Realizam seus objetivos comuns pela cooperação voluntária, na forma de associação de Igrejas ou de convenções, como é o caso da Convenção Batista Brasileira.

A história mundial dos Batistas pode ser contada a partir de duas raízes principais: Das suas doutrinas e do surgimento no cenário mundial com o nome Batista.

No que cremos

Jesus Cristo é o Senhor e líder de todas as igrejas batistas no Brasil e no mundo. Interpretada na perspectiva apostólica, a Bíblia é o livro de fé e prática dos batistas. Integralmente baseada na Bíblia, a Declaração Doutrinária dos Batistas Brasileiros contém o conjunto das regras de fé e prática das igrejas filiadas à CBB.

A história nos diz que podemos, com confiança em Deus, prosseguir para o alvo pelo prêmio da soberana vocação, de continuar servindo a Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo (Fil. 3:14).

Raízes doutrinárias

Considerando as Raízes Doutrinárias, os Batistas saem diretamente das páginas do Novo Testamento: dos lábios e ensinos de Jesus e dos apóstolos e tem sua trajetória marcada pela oposição a toda corrupção da doutrina cristã claramente exposta no Novo Testamento.

Ao consultar a Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira você verá que as nossas doutrinas saem, com clareza límpida, das Sagradas Escrituras.

A corrupção de algumas doutrinas e práticas do cristianismo começaram a surgir muito cedo em sua história, como pode ser constatado nos escritos dos apóstolos. Esta corrupção foi se ampliando após a "conversão" do Imperador Constantino ( 306 a 337) ao cristianismo, ocorrida a partir de 312 quando incorporou a cruz ao seu estandarte e passou a favorecer os cristãos.

Muitos destes resistentes rejeitavam as inovações doutrinárias e as praticas e por isso foram perseguidos, exilados e mortos. Eles mantiveram acesas as doutrinas cristãs genuínas e possibilitaram, que através dos tempos, outros se levantassem na Idade Média como Cláudio de Turim, Pedro de Bruys e Henrique de Lausanne, Pedro Vado João Wycleffe, João Huss e muitos outros.

Com o surgimento da Reforma Protestante liderada por Martinho Lutero, e deflagrada em 31 de outubro de 1517 quando da publicação das suas famosas 95 teses, na porta do Castelo de Wittenberg, criou-se a oportunidade de que muitos grupos dissidentes intensificassem suas pregações, e entre eles os chamados Anabatistas que sustentavam muitas doutrinas que os batistas esposam e representavam o grupo mais ativo e poderoso daquele momento. O nome que lhes foi dado Anabatistas "significa os rebatizadores".

Finalmente, 1608 um grupo de refugiados ingleses que foram para a Holanda em busca da liberdade religiosa, liderados por John Smyth que era pregador e Thomas Helwys que era advogado, organizaram em Amsterdã, em 1609 uma igreja de doutrina batista, como era o sonho dos dois lideres.

John Smyth batizou-se por imersão e em seguida batizou os demais fundadores da igreja, constituindo-se assim a primeira igreja organizada, tendo como espelho as doutrinas do Novo Testamento inclusive o batismo por imersão e mediante a profissão de fé em Jesus Cristo.

Com a morte de John Smyth logo depois, e da decisão de Thomas Helwys e seus seguidores de regressarem para a Inglaterra, a igreja organizada se desfez e parte dos seus membros se uniram aos menonitas.

Nossa história

Fundada em 09 de março de 1957, desde então passamos a somar como igreja batista no bairro, onde a amigável e hospedeira Igreja Batista de Benfica sempre fez valer o slogan "Quem vem a Benfica fica bem!".

Os fatos encontrados nos livros de Atas da Igreja Batista de Benfica nos fazem pensar nas mãos de Deus operando bênçãos e transformando a vida de pessoas e famílias, que ao longo dos anos se fizeram presentes na formação da história desta agência divulgadora da Palavra de Deus e promotora do Reino de Deus (Salmos 40.5).

Indiscutivelmente com incontida alegria e profundo gozo d’alma, o grupo que formou o corpo fundador lembra que a Igreja Batista de Benfica nasceu com o espírito missionário. O memorável sábado, dia 09 de março de 1957 marcou a data da organização da igreja. No domingo, dia 10 de março de 1957, as igrejas batistas de todo o Brasil se uniram em um especial esforço financeiro em favor de Missões Estrangeiras. Benfica aliou-se resolutamente ao movimento em seu primeiro dia de existência, apresentando um magnífico programa alusivo a missões e garantindo uma generosa oferta.

Membros da Igreja Evangélica Batista Bereana do Jacarezinho, começaram a freqüentar os cultos em Benfica. Soube-se então, que aquela igreja estava dividida em seus objetivos e em conflito espiritual. Abraçamos os que se refugiaram em Benfica e com grande carinho foram cuidados, de 1959 a 1962, lutamos em oração e seguimos juntos aos pés do Mestre.

Em 10 de outubro de 1962, recebemos uma carta da Igreja Evangélica Batista Bereana, sob a liderança do Pr. Anthídio Dias da Silveira (Pr. da Igreja Batista de Vieira Fazenda), informando-nos que fez saber as co-irmãs, que um novo tempo iniciara e a Igreja Evangélica Batista Bereana passou a chamar-se Segunda Igreja Batista de Vieira Fazenda. Solicitou, ainda, que fossem desconsiderados os pedidos de transferência de: João R. Silva, Reinaldina da Silva Rodrigues e Áurea Domingues.

Ao tempo em que convoca ao retorno os outros que deixaram o convívio dos que lá estavam. O templo da Segunda Igreja Batista de Vieira Fazenda fica à Rua Esperança, 15 – Jacarezinho e a partir desta data esta grei ficou sendo considerada, por nós, igreja filha por adoção.

Logo surgiu mais uma igreja filha, em 12 de outubro de 1962, a Igreja Batista do Morro do Tuiutí.

Por transferência, recebemos um grupo de irmãos oriundos da Igreja Batista Filadélfia, que, apoiados por nós, à Rua São Luiz Gonzaga, 1400 casa 98 - Benfica, iniciou um Ponto de Pregação que rapidamente tornou-se Congregação e instituiu-se Igreja. Posteriormente, adquirindo imóvel à Rua Vigário Morato, 235 – Benfica, mudou-se e também mudou seu nome para Igreja Batista Jardim de Arimatéia.

De forma semelhante aconteceu, em 30 de março de 1969, a formação da igreja filha, iniciando em 05 de abril de 1969, suas atividades à Rua Getúlio Vargas, 12 – Jacarezinho, a Igreja Batista Central em Jacarezinho.

Um grupo vindo por transferência e por reconciliação e carta da Igreja Batista de Nova Sião iniciou o Ponto de Pregação naquele lugar e quando em forma de Congregação, resolveram instituir-se em igreja.

Em 12 de setembro de 1971, é lida a carta do Pr. Ovídio, datada de 11 de agosto de 1971, onde o próprio pede sua exoneração pastoral do Ministério em Benfica. A igreja volta a se reunir em 19 de setembro para considerar os motivos que o levaram a este pedido e após ponderações diversas, o pastor reforça sua decisão e deixa o pastorado da Igreja Batista de Benfica conforme registro na transcrição de sua carta. Ocupa a presidência o então, vice-presidente irmão Daniel Rodrigues.

Em 28 de maio de 1972, o Pr. Theodomiro José de Freitas (pastor da Igreja Batista de Transfiguração – Rua Transfiguração, 21 – Olaria – Rio de Janeiro – RJ), é convidado a auxiliar interinamente a Igreja Batista de Benfica até a consagração ao Ministério da Palavra e posse do irmão Sérgio Paulo Azeredo Boechat, ao pastorado da mesma, marcado para o dia 03 de junho de 1972, uma vez que o Pr. Theodomiro vem cooperando com Benfica na ministração da Ceia do Senhor e realização de Batismos desde outubro de 1971 e ele aceita.

Em 30 de março de 1974, volta a reunir a igreja e solicita sua exoneração do pastorado.

Em 14 de abril de 1974 a comissão eleita faz novo convite ao Pr. Theodomiro para voltar a assumir a igreja em Benfica como pastor interino e o mesmo aceita tomando posse.

No dia 20 do mesmo mês, o Pr. Theodomiro se despede do interinato e no dia 27 passa, simbolicamente, o cajado as mãos do novo obreiro – Pr. Antônio Joaquim de Mattos Galvão.

Eterno Missionário, em 16 de março de 1980, o Pr. Antônio Joaquim de Mattos Galvão pede a sua exoneração do pastorado da Igreja Batista de Benfica a partir do dia 23, pois seguem viagem missionária para a Espanha no dia 31 do mesmo mês.

Sob orientação de Deus, aos oito dias de novembro de 1980, chega em Benfica, assumindo o pastorado da mesma o Pr. Josué da Silva Andrade, da Igreja Batista Caramujo – Niterói – RJ, e, em 16 de novembro de 1980, com ele. o Pr. Josemar de Souza Pinto oriundos da IB do Lins.

O trabalho trouxe desafios em várias direções e a igreja junto ao Pr. Josué, em 07 de fevereiro de 1982, resolveu dar posse como Pastor Auxiliar aos irmãos – Pr. Antônio Maria Campos, que permaneceu até 03-10-82 , assumindo o pastorado da Igreja Batista Jardim Anhangá à Rua N Lote 1 Quadra 18 – Jardim Anhangá – Duque de Caxias - RJ, e o Pr. Josemar de Souza Pinto, que permaneceu até 09-10-83, quando pediu sua transferência para Igreja Batista da Amizade.

Maria de Laias Botelho, esta irmã reconcilia-se com a igreja em Benfica e tempos depois muda para, o terreno de sua mãe, em Jardim Anhangá. Sua mãe, irmã Geralda Maria de Laias sempre ao lado de sua filha, uniu-se a Anita Evaristo da Silva (responsável por Ação Social) e Ao Pr. Antônio Maria Campos, parentes e alguns outros e iniciaram um novo caminhar levando o evangelho àquele lugar.

A igreja em Benfica decide, então, comprar uma propriedade e através de seus representantes, em 03 de outubro de 1982, constituiu a Igreja Batista de Jardim Anhangá que, mais tarde, no pastorado do Pr. Jocelino Antônio de Proença, em pesquisa feita por ele, descobriu-se que a tradução de Anhangá significa diabo, sendo assim mudou-se o nome da igreja para Igreja Batista Três de Outubro, dia e mês da sua fundação.

No dia 13 de fevereiro de 2000, o Pr. Josué da Silva Andrade, após várias considerações declarou não mais ser pastor da Igreja Batista de Benfica.

Em 17 de setembro de 2000, foi feito convite ao Pr. Robson Rocha Pereira, Pastor da Primeira Igreja Batista no Jacaré e Presidente da Associação Sinai de Igrejas, para assumir interinamente, a Igreja Batista de Benfica até que fosse escolhido seu novo pastor.

Em 18 de fevereiro de 2001, em Assembléia Extraordinária, foi escolhido por eleição o Pr. Robson Rocha Pereira, para pastorear a Igreja Batista de Benfica.

Aos oito dias do mês de junho de 2003, movidos pelo clamor missionário, o Pr. Robson Rocha Pereira e sua esposa irmã Judite Correia Costa, seguiram para o Campo Missionário em Tacajá – TO (lá nasceram Samara e Jônatas, e adotaram Dili filhos do casal). Exonerando-se assim do pastorado de Benfica.

Em 02 de novembro de 2003, a Comissão de Sucessão Pastoral convida o Pr. Dylmo Pereira Castro, vindo por transferência da Igreja Batista em Maruípe – ES, que toma posse em 16 de novembro de 2003, condicionando ficar de forma interina até sua ida para os Estados Unidos, onde irá pastorear uma Igreja de Brasileiros – tomou posse. Permaneceu na função até 08 de fevereiro de 2004, quando solicitou sua exoneração do pastorado interino, conforme combinado. Em 22 de abril de 2004, segue as cartas de transferência aos EUA, do casal Pr. Dylmo Pereira Castro e Eliane Seves Castro.

Aos nove dias do mês de maio de 2004, a Comissão de Sucessão Pastoral apresenta o nome do irmão Aluísio Vieira Cardoso – Bacharel em Teologia pelo STBSB, Vice-presidente da PIB em Heliópolis – Bel Ford Roxo-RJ e, em 10 de julho de 2004, o mesmo toma posse, após Ordenação e Consagração ao Ministério da Palavra, ao pastorado da Igreja Batista de Benfica.

No dia 06 de junho de 2000 saiu o Pr. Aluísio Vieira Cardoso do pastorado transferindo-se para a Igreja Batista do Retiro em Volta Redonda seguido de sua esposa Lia Rejane Ribeiro Cardoso e filhas Larissa e Laísa Cardoso.

Aos 27 dias do mesmo mês assumiu a presidência o seminarista (hoje pastor) Alex Sandro de Oliveira que permaneceu no cargo até final de 2011 dando lugar em 2012 ao educador Marcos Barbosa de Abreu até a chegada do atual pastor irmão Amarildo Vieira Napoleão, eleito em março de 2012 e tomou posse no dia 19 de maio de 2012, solicitando da Igreja Batista Memorial em Manguinhos - RJ sua transferência e a de sua família: Eliane de Paula Napoleão (esposa), Dálet de Paula Napoleão e Dáfiny de Paula Napoleão (filhas).

Muitos membros e líderes têm contribuído para a história da Igreja Batista de Benfica, neste breve histórico tive vontade de mencioná-los... Contar um pouco dos feitos de Deus através de seus passos, mas torna-se impossível destacar o valor real e a grandeza de cada um.

Os batistas no Brasil e no mundo

Considerando as raízes do nome batista, a história começa com a organização da Igreja em Spitalfields, nos arredores de Londres, em 1612, por Thomas Helwys e seus seguidores, já batizados na Igreja em Amsterdã. É esta Igreja, que agora inicia a linhagem de igrejas batistas que começam a crescer na Inglaterra sob severa perseguição por dissentirem da igreja oficial, a Igreja Anglicana.

A perseguição aos batistas e a outros grupos separatistas, os levou a várias partes do mundo, e em especial às colônias da América do Norte, em busca da liberdade religiosa.

Dois ilustres homens são considerados fundadores das igrejas Batistas em solo americano, Roger Williams, que organizou a Primeira Igreja Batista de Providence em 1639, na colônia que ele fundou com o nome de Rode Island, e John Clark que organizou a Igreja Batista de Newport, também em Rods Island e conhecida desde 1648. Os batista se espalharam pelas diversas colônias da América do Norte e fora influentes na formação da constituição americana de 1781.

Em 1791, um jovem pastor inglês chamado William Carey sentindo forte compaixão pelas multidões pagãs da Índia, decidiu iniciar com o apoio de vários pastores, um movimento para o envio de missionário àquelas terras. Assim foi criada a Sociedade de Missões no Estrangeiro, que tem tido uma participação muito grande na expansão da obra Batista na Ásia e África além de outros continentes e inclusive no Brasil.

Por sua vez, os Batistas Norte Americanos foram grandemente motivados a evangelizar o mundo. Um jovem casal de missionários Adoniram e Ana Judson enviados em 1812 pela Igreja Congregacional, para evangelizar a Índia, com destino a Calcutá, examinando a Bíblia, especialmente o Novo Testamento, a doutrino do batismo, já que iriam se encontrar com o missionário Batista William Carey e seu grupo de pastores, acabou por concluir que os batista estavam certos. Eles foram batizados pelo Pastor William Ward companheiro de Carey. O mesmo fato aconteceu com outro missionário Congregacional, também enviado a Índia, Luther Rice, que igualmente foi batizado, tornando-se Batista.

Eles decidiram que Adoniram Judson permaneceria no Oriente e Luther Raice voltaria aos Estados Unidos para mobilizar os Batistas para a obra missionaria. Seu trabalho vingou e em maio de 1814, foi funda uma Convenção em Filadélfia com o nome de “” Convenção Geral da Denominação Batista nos Estados Unidos para Missões no Estrangeiro”.

A partir daí, a obra missionária dos batistas iniciou um gigantesco crescimento. Chegando inclusive, através dos Batistas do Sul dos Estados Unidos, o Brasil. onde foi organizada, no dia 15 outubro de 1882, a Primeira Igreja Batista para Brasileiros em nossa terra e, deste trabalho, é que surgiu a Convenção Batista Brasileira.

Hoje os Batista estão presentes, em cerca de 200 países e representam uma população de perto de quarenta milhões de membros e atingem cerca de cem milhões de pessoas no mundo inteiro.

Síntese

Na perspectiva da história e das tradições batistas, zelamos pelos seguintes princípios:

  • Liberdade religiosa
  • Governo democrático
  • Estrutura congregacional
  • Ação cooperativa
  • Visão missionária
  • Fidelidade bíblica
  • Padrão doutrinário
  • Responsabilidade social

Pacto das igrejas batistas

Tendo sido levados pelo Espírito Santo a aceitar a Jesus Cristo como único e suficiente Salvador, e batizados, sob profissão de fé, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, decidimo-nos, unânimes, como um corpo em Cristo, firmar, solene e alegremente, na presença de Deus e desta congregação, o seguinte Pacto:

Comprometemo-nos a, auxiliados pelo Espírito Santo, andar sempre unidos no amor cristão; trabalhar para que esta igreja cresça no conhecimento da Palavra, na santidade, no conforto mútuo e na espiritualidade; manter os seus cultos, suas doutrinas, suas ordenanças e sua disciplina; contribuir liberalmente para o sustento do ministério, para as despesas da igreja, para o auxílio dos pobres e para a propaganda do evangelho em todas as nações.

Comprometemo-nos, também, a manter uma devoção particular; a evitar e condenar todos os vícios; a educar religiosamente nossos filhos; a procurar a salvação de todo o mundo, a começar dos nossos parentes, amigos e conhecidos; a ser corretos em nossas transações, fiéis em nossos compromissos, exemplares em nossa conduta e ser diligentes nos trabalhos seculares; evitar a detração, a difamação e a ira, sempre e em tudo visando à expansão do reino do nosso Salvador.

Além disso, comprometemo-nos a ter cuidado uns dos outros; a lembrarmo-nos uns dos outros nas orações; ajudar mutuamente nas enfermidades e necessidades; cultivar relações francas e a delicadeza no trato; estar prontos a perdoar as ofensas, buscando, quando possível, a paz com todos os homens.

Finalmente, nos comprometemos a, quando sairmos desta localidade para outra, nos unirmos a uma outra igreja da mesma fé e ordem, em que possamos observar os princípios da Palavra de Deus e o espírito deste Pacto.

O Senhor nos abençoe e nos proteja para que sejamos fiéis e sinceros até a morte.

Documentos batistas

Clique nas imagens abaixo para conhecer e baixar de forma gratuita os livretos da série Documentos Batistas, publicados pela Convicção Editora:

A igreja e o fisco

Uma instrução normativa na Secretaria da Receita Federal e Fazenda datada de 30/04/2013, obriga as igrejas, bem como todas as organizações que gozam de isenção e imunidade tributária pertencentes ao 3º Setor, a adotar a Escritureação Fiscal Digital já a partir de 01/01/2014.

Em nível municipal a igreja está sujeita a:

  • Lei de Posturas da Prefeitura local (Fiscalização de construções e acréscimos em edificações)
  • Corpo de Bombeiros (Emissão do certificado de aprovação)
  • Ministério do Trabalho e Emprego (Entrega anual da RAIS)
  • PIS (Sobre a folha de pagamento, aluguéis, proventos ministeriais e eventos)
  • DCTF (Declaração de Contribuições de Tributos Federais)
  • DIRP e DIPJ (Declaração de Imposto de renda Retido na Fonte e Declaração de Imposto de renda da Pessoa Jurídica)

Dízimos e ofertas

Banco Itaú
Agência 0307
C/C 29901-6

Favorecido
Igreja Batista de Benfica
CNPJ 42.120.857/0001-95

Igreja Batista de Benfica

Rua Capitão Abdalla Chama 98, Benfica

Rio de Janeiro - Brasil - 20911-250

+55 21 3860-2286

[email protected]

Instituições Batistas
Aliança Batista Mundial Convenção Batista Brasileira Covenção Batista Carioca Junta de Missões Mundiais Junta de Missões Nacionais
Redes Sociais
Facebook Twitter YouTube Flickr Last.fm